Quem não tem medo de errar?

InícioEnsino, Ensino Profissional, Orientação vocacionalQuem não tem medo de errar?
Loading...

Q uem não tem medo de errar é porque talvez não tenha que escolher. Optar por uma área de estudo no 10º ano ou por um curso universitário, depois do 12º ano, causa sempre dúvidas, aos alunos e aos pais. Por isso, o receio de não fazer a escolha certa tem toda a razão de ser.

Errar é humano.

A frase, com origem na expressão latina “errare humanum est”, lembra-nos que errar é próprio do homen. Fazer a escolha errada acontece simplesmente porque somos humanos. Mas se há situações em que errar não tem grande importância, há outras em que as consequências de errar podem ser importantes.

Uma das situações em que ninguém quer errar é na escolha da área de estudo no secundário, ou na escolha do curso a fazer, após o 12º ano.

Quais as consequências de errar.

A primeira consequência do erro será a decepção com a escolha feita. Esta decepção pode comprometer o empenho e a determinação, o que resulta, geralmente, em resultados insatisfatórios e frustração.

No caso de uma escolha errada no final do 9º ano ou do 12º ano, pode significar também perder um ou mais anos de estudo.

Por outro lado, é preferível voltar atras, fazer uma escolha acertada, estudar com gosto, empenho e dedicação pois são estes os ingredientes para uma vida escolar de sucesso.

Como fazer a escolha certa.

Só é possível fazer a escolha certa através do autoconhecimento e do conhecimento claro das opções que temos à nossa disposição.

Os alunos no final do 9º ano devem escolher uma área para o 10º ano, as opções são: os cursos científico-humanísticos, os cursos artísticos especializados e os cursos profissionais. Está é uma escolha muito importante porque vai condicionar as escolhas do futuro académico e profissional.

A escolha, no final do 12º ano, pode parecer mais simples, mas, na verdade, terá de ter em conta 3 fatores importantes: a matéria a estudar, a instituição a frequentar e a média de acesso ao curso.

No campo do auto-conhecimento, o ideal é contar com a ajuda dos profissionais de orientação vocacional. Com as ferramentas adequadas, de maneira objectiva, vão traçar o seu perfil e ajudá-lo a compreender quais as escolhas mais adequadas. Sem dúvida, a melhor ajuda para fazer a escolha certa.

Quem não tem medo de errar?

Provavelmente, quem não tem medo de errar é quem não tem de escolher. Por isso, muitos dos que nos procuram, apesar de saberem do que gostam, querem ter a certeza das suas escolhas.

No artigo as dúvidas dos pais, pode conhecer quais as principais preocupações dos pais, quando tentam ajudar os seus filhos a escolher.

Imagem de Piyapong Saydaung por Pixabay.